Prefeitos da região pedem ajuda na saúde com urgência e estado promete 198 novos leitos

0
38

A Secretaria de Estado da Saúde assumiu, na última terça-feira (19), o compromisso com os Municípios do Alto Tietê de ampliar 198 leitos para o atendimento de pacientes de coronavírus. Apesar de bem-vindo, o anúncio não tranquiliza os prefeitos, já que a Região contabiliza a maior taxa de letalidade da doença na Grande São Paulo, com uma média diária de 15 óbitos, e deve contar com essa ampliação da rede de saúde somente a partir de 15 de junho.

O compromisso assumido pelo secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann, com os prefeitos, inclui a ampliação de 48 leitos no Hospital Regional Dr. Osiris Florindo Coelho, em Ferraz de Vasconcelos; 60 no Hospital Dr. Arnaldo Pezzuti Cavalcanti, em Mogi das Cruzes; e 90 no Hospital das Clínicas Auxiliar, em Suzano.

Além disso, há a promessa de prioridade – mas sem prazos – para o envio de respiradores ao Hospital Municipal de Mogi das Cruzes para a ampliação de 20 leitos de UTI na unidade, que é a única exclusiva para atendimento Covid em todo o Alto Tietê.

E também a inclusão do Hospital Padre Bento, em Guarulhos, como referência para as cidades da Região – até então era para São Paulo e apoio para o Alto Tietê – e do Hospital Geral de Guaianazes como referência para Ferraz de Vasconcelos e Itaquaquecetuba, assim como a indicação do Hospital Regional de Ferraz como referência para UTI Pediátrica.

“Estamos indo para 60 dias de quarentena e há mais de 40 dias discutindo o plano assistencial, com uma grade de referência que não é compatível com a realidade que o Alto Tietê apresenta e sem ações concretas e imediatas para dar vazão ao aumento da doença nas nossas cidades.  Hoje temos o compromisso colocado pelo secretário aos prefeitos com nomes dos hospitais, número de leitos e prazos. Não é o suficiente, mas temos uma perspectiva melhor”, ressalta o presidente do CONDEMAT, Adriano Leite.

No Regional de Ferraz, ao contrário da promessa inicial para essa semana, a ampliação de leitos só estará disponível em meados de junho. Para 15 de junho estão programados 28 leitos de Clínica Médica e 10 de UTI. E para uma semana depois, mais 10 leitos de UTI.

No Dr. Arnaldo, a promessa são 30 leitos de Clínica Médica e 30 leitos de UTI até o dia 20 de junho. Segundo o Estado, o convênio de gestão para a unidade está em fase final.

No HC de Suzano, a data assumida pelo secretário Germann  é 30 de junho, com 80 leitos de Clínica Médica e 10 de UTI.

Todos os compromissos assumidos pelo secretário foram reafirmados pela equipe da Diretoria Regional de Saúde (DRS-1) no período da tarde, numa reunião com prefeitos, deputados estaduais, secretários municipais de Saúde e o procurador da República Guilherme Rocha Göpfert, do Ministério Público Federal.

Em ambas as reuniões, a direção do CONDEMAT reforçou o apelo para que o Estado dê maior atenção ao Alto Tietê, que possui um dos maiores índices de mortalidade de Covid-19 entre as seis regiões da DRS-1. Ontem, a taxa de letalidade era de 9,8%, enquanto em Franco da Rocha 9,6%; Mananciais 8,4%; São Paulo 7,9%; e Grande ABC 7,1%.

“É fundamental que sejam aplicados investimentos na ampliação dos serviços de saúde da Região, com equipamentos para liberar o funcionamento de leitos que só dependem disso e de expansão de vagas onde existe capacidade. Com esse importante apoio do Ministério Público Federal, vamos monitorar o cumprimento do que foi prometido hoje e continuar a cobrar mais ações”, afirma o presidente do CONDEMAT.

Deixar uma resposta